"Não devemos permitir que uma só criança fique em sua situação atual sem desenvolvê-la até onde seu funcionamento nos permite descobrir que é capaz de chegar. Os cromossomos não têm a última palavra". (Reuven Feuerstein)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Lançamento do Plano: Viver sem Limite




LANÇADO PELA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA O PLANO NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA – VIVER SEM LIMITE E ASSINADO O DECRETO QUE REGULAMENTA A ESCOLA ESPECIAL E O AEE

A Presidenta da República Dilma Rousseff lançou emocionada o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite. 
O Plano Viver sem Limte, segunda a Presidenta Dilma Rousseff, envolve ações de 15 órgãos federais e funciona sobre a coordenação da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. 
Na solenidade também foi assinado decreto presidencial que regulamenta a escola especial e o atendimento educacional Especializado – AEE. A expectativa é que o decreto venha a garantir a existência das escolas especiais bem como seu financiamento, mas estamos aguardando a publicação do texto final no Diário Oficial da União para uma análise criteriosa. A interlocução da Casa Civl com as Entidades voltadas para o atendimento às pessoas com deficiência foi feita pelo Deputado Eduardo Barbosa que também é Presidente da Federação Nacional das Apaes.
Em discurso a Ministra Maria do Rosário da Secretaria de Direitos Humanos agradeceu ao Deputado Eduardo Barbosa por sua atuação histórica na luta pelos direitos das pessoas com deficiência em todo o Brasil.
O plano prevê quatro Eixos estruturantes onde o Governo informa que vai investir até 2014 a quantia de 7,5 bilhões de reais.

Eixos:
• Acesso à Educação
  • Foi informado que as pessoas com deficiência vão contar com transporte escolar, adequações arquitetônicas dos espaços educacionais, modernização das salas recurso multifuncionais e a criação de outras, abertura de novas vagas para formação profissional e tecnológica. 
  • Um destaque deste Eixo é a ampliação do BPC na Escola.
• Atenção à Saúde
  • Estão previstas a ampliação a prevenção às deficiências, criação de um sistema nacional para o monitoramento e a busca ativa da triagem neonatal, com maior número de exames no Teste do Pezinho.
  • Reforço das ações de habilitação e reabilitação, atendimento odontológico, ampliação das redes de produção, manutenção e acesso à órtese e prótese, reforço de ações clínicas e terapêuticas, com a elaboração e publicação de protocolos e diretrizes clínicas de várias patologias associadas à deficiência.
 Inclusão Social 
  • Implementação dos Centros Dia de Referência que terão como finalidade oferecer apoio para as pessoas com deficiência em situação de risco como: Extrema pobreza, abandono e isolamento social.
  • Os serviços dos Centros Dia de Referência deverão promover o convívio social, porque serão oferecidos durante o dia sendo ofertados cuidados a partir de ações integradas das áreas de assistência Social e saúde.
  • Para estimular o acesso ao mercado de trabalho, a pessoa com deficiência que voltar a ficar desempregada receberá novamente o BPC. No contrato de aprendizagem o benefício será acumulado.
• Acessibilidade
  • O Programa Minha Casa, Minha Vida 2 garantirá 100% das unidades para familiares de baixa renda projetadas com possibilidade de adaptação. 
  • Serão disponibilizados kits de adaptação para pessoas com deficiência, de acordo com suas especificidades. 
  • Requisitos de acessibilidade serão observados nas obras de mobilidade urbana do PAC e da Copa 2014.
  • Criação de centros tecnológicos de nível técnico de treinamento de instrutores de cães-guia. 
  • Acesso facilitado ao crédito para a compra de equipamentos voltados às pessoas com deficiência.
  • Criação de um Centro Nacional de Referência e núcleos regionais para o desenvolvimento de tecnologia assistiva nacional.



Ministra Maria do Rosário e Deputado Eduardo Barbosa.
Foto: Gabriela - Gabinete Dep. Eduardo Barbosa.


Antes de encerrar a solenidade de lançamento do programa Viver sem Limite a
Presidenta Dilma Rousseff fez menção a atuação histórica das Apaes no Brasil
no atendimento e luta pelos direitos das pessoas com deficiência e que todo o
trabalho a ser desenvolvido para este seguimento da sociedade deverá respeitar
a atuação destas entidades civis e sua história.


Senador Lindbergh Farias com sua filha após o encerramento da solenidade.

Aracy Ledô–RS e José Turozi–PR eleitos respectivamente Presidente e
Vice-presidente da Federação Nacional das Apaes para o triênio 2012-2014,
participando da Solenidade em Brasília.

 
Moisés Bauer - Presidente do CONADE

 
Adinilson Marins dos Santos – Conselheiro do CONADE e Coordenador
do Programa de Autodefensoria e Autogestão da Fenapaes, deixando o
Palácio do Planalto após a Solenidade.

Mais noticias, conferir em:  http://www.youtube.com/watch?v=XQtrZC0kYCU 

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

iPad ajuda menino autista no processo de socialização



Lançamento do iPad 2: vantagens dos tablets para a educação foram exaltadas. Foto: AP


Um caso recente tem intrigado pesquisadores e demais membros da comunidade científica de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul. Uma criança de seis anos, portadora de autismo, passou a se comunicar com seus pais e colegas a partir do momento em que começou a usar um iPad para jogar e aprender conceitos como números e letras do alfabeto.
"O menino realizava trabalhos de cognição com uma aluna minha e não emitia resposta com nenhum dos métodos que utilizamos com outras crianças. A partir do momento em que ele teve contato com o iPad, sua comunicação melhorou consideravelmente, chegando ao ponto de pedir um aparelho similar aos pais para uso em casa", conclui Nize Maria Pellanda, doutora em Ciências da Educação e professora da Universidade de Santa Cruz do Sul.
Segundo a pesquisadora, não estão disponíveis muitas pesquisas sobre a recepção pelos autistas do ruído emitido por tablets, por isso ainda não é possível inferir muito sobre o assunto. "Há evidências de reação no processo cognitivo e até mesmo afetivo dos autistas com os tablets, mas muito pouco foi realmente pesquisado e documentado a respeito", completa Nize.
Tablets: revolução tecnológica na educação
Desde o surgimento do primeiro iPad, em 2010, até a expansão e massificação dos tablets uma revolução tecnológica passou a se desenhar no mundo, influenciando, entre outras áreas, a educação. Em sala de aula, aparelhos como esses, que permitem acesso à internet e dispensam a impressão de livros e cadernos, possibilitam uma atualização constante do material de estudo e aumentam a interatividade entre professores e alunos.
No início de setembro, o ministro da Educação Fernando Haddad anunciou para 2012 a compra de tablets para a utilização em instituições de ensino da rede pública. Ainda não foram divulgados mais detalhes acerca da quantidade, modelo do aparelho e instituições beneficiadas. Por enquanto, a novidade está restrita a poucas instituições privadas, caso das universidades Estácio de Sá (RJ) e UniSeb, de ensino à distância.
Pioneiro no uso de tablets, o Grupo Integral, de Campinas (SP), adota desde o ano passado o gadget no dia a dia dos seus estudantes. Quando o aluno se matricula no Ensino Médio, recebe um iPad, que fica em sua posse até o término do ano, quando é devolvido à escola. Segundo o diretor de uma das unidades do grupo, Ricardo Falco, o feedback positivo veio naturalmente. "O que percebemos nesse ano de trabalho é que os alunos sentem-se mais estimulados à leitura com os aplicativos de jornais e revistas e do material didático no formato digital, além dos portais à sua disposição", resume.
Em países mais desenvolvidos, como nos Estados Unidos, essa mudança já é uma realidade. Em um artigo para o site americano de tecnologia Mashable Tech, Vineet Madan, vice-presidente da McGraw-Hill Higher Education, uma das maiores instituições de produção de material para escolas e universidades do mundo, defendeu a adoção de tablets em ambientes de ensino. "A leitura, por exemplo, se torna muito mais dinâmica para os alunos, integrando áudio, imagem e vídeo. E diversas soluções educacionais do mundo moderno passam pelo conceito de nuvem (modelo no qual as informações e arquivos ficam disponíveis em um cyberespaço), e os tablets estão totalmente alinhados com essa proposta", comenta.
Mas o assunto não traz apenas pontos positivos. Alguns educadores não são tão otimistas em relação aos potenciais benefícios que esses gadgets podem representar. Segundo o psicólogo e professor da Universidade Federal de São Carlos, Celso Goyos, toda a empolgação com o uso de tablets em sala de aula deveria ser redirecionada na qualificação do ensino, uma mudança que, segundo ele, não vai acontecer apenas com a distribuição desses novos aparelhos em sala de aula.
"Por falta de recursos eficazes em educação, diretamente relacionada à escassez de pesquisas que de fato focalizem no problema de ensino e aprendizagem, a sociedade brasileira olha esperançosa para as maravilhas tecnológicas à espera de um milagre também na área de educação", destaca Goyos. Ainda segundo ele, a psicologia experimental tem produzido enormes avanços nessa área ao longo dos últimos 30 anos, mas é uma contínua dificuldade fazer com que esses conhecimentos extrapolem os muros da academia e sejam incorporados em sala de aula.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

V CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE EM ITABIRA


Existem desafios a serem superados e enfrentados, como a universalização de uma educação de qualidade, da mesma forma o acesso à saúde com atenção integral e equidade; eliminação de todas as formas de violência contra crianças e adolescentes em todos os contextos – especialmente o abuso e exploração sexual e todas as formas de trabalho infantil; uma política de segurança pública voltada para garantia do direito a vida e a integridade física, moral e psicológica; uma política capaz de coordenar mecanismos de enfrentamento da exploração de crianças e adolescentes no tráfico de drogas e armas e atendimento psicossocial aos usuários de substâncias psicoativas.
Assim, aconteceu nos dias 08 e 09 de novembro a V Conferência em Itabira.
O evento acontece a cada dois anos em todos os municípios do Brasil e visa buscar junto a participação da sociedade propostas que possam ser implementadas em favor da defesa dos direitos da criança e adolescente.
Este ano, a conferência tem como tema “Mobilizando, Implementando e Monitorando a Política e o Plano Decenal de direitos humanos de crianças e adolescentes nos Estados, no Distrito Federal e nos Municípios”.
Todas as propostas apresentadas, discutidas e aprovadas pelos participantes, assim como as sugestões dos demais municípios brasileiros serão encaminhadas para análise nas etapas estadual e nacional da conferência, que acontecem no início do próximo ano.
No encontro nacional, as propostas serão novamente analisadas e votadas. As melhores sugestões serão implantadas e retornam aos município como projetos de lei, beneficiando toda a população.